China inaugura nova Bolsa de Valores em Pequim

A recém-estabelecida Bolsa de Valores de Beijing (BSE) começou a negociação nesta segunda-feira, marcando um passo fundamental nos esforços da China para aprofundar a reforma do mercado de capitais e apoiar pequenas empresas.

A recém-estabelecida Bolsa de Valores de Beijing (BSE) começou a negociação nesta segunda-feira, marcando um passo fundamental nos esforços da China para aprofundar a reforma do mercado de capitais e apoiar pequenas empresas.

Na cerimônia de lançamento, Yi Huiman, presidente da Comissão Reguladora de Valores da China, saudou o lançamento da BSE como “mais um marco na reforma e desenvolvimento do mercado de capitais da China”.

O lançamento ocorreu apenas dois meses após o anúncio do plano para a nova bolsa de valores, além das duas bolsas existentes no continente chinês — em Shanghai e Shenzhen, respectivamente.

O primeiro grupo de 81 empresas estreou na segunda-feira, das quais 10 foram recém-aprovadas e 71 foram transferidas do National Equities Exchange and Quotations da China, também conhecido como a “nova terceira bolsa”.

Às 10h20, a transação das ações de todas as 10 empresas recém-listadas havia sido suspensa temporariamente por duas vezes, pois seus preços subiam mais de 60% e desencadearam o mecanismo. Em seguida, essas ações voltaram às negociações, com o maior aumento de mais de 500% em algum momento.

A bolsa não limita a variação de preços das empresas recém-listadas no primeiro dia de negociação, mas a negociação será suspensa por 10 minutos quando os preços das ações oscilarem mais de 30% e mais de 60%.

Todas as 81 empresas são excelentes em seus respectivos setores, ostentando boas operações de negócios e grande potencial de crescimento, disse Li Xudong, diretor-gerente da China Securities.

Li acrescentou que 87% dessas empresas são de campos como manufatura avançada, serviços de alta tecnologia e indústrias emergentes estratégicas, com seus gastos médios em pesquisa e desenvolvimento chegando a 25,36 milhões de yuans (US$ 3,97 milhões).

Mais de 95% das empresas chinesas são pequenas e médias, sendo grandes criadoras de empregos no país e uma parte importante da economia real, mas há muito tempo sofrem com o financiamento insuficiente.

“A criação da BSE é de vital importância na criação de um mercado de capitais multinível, melhorando o apoio financeiro às pequenas e médias empresas, além de promover o desenvolvimento orientado à inovação e a transformação e atualização econômica”, disse Yi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *